• Serviço Discreto

    Embalagem e Facturação Discreta e Simples

  • Envio grátis para Portugal em encomendas acima de 50€

    Escolhe o seu dia de preferência

  • Protecção dos Dados de Clientes

    Os seus dados estão seguros e protegidos connosco

Causas, sintomas, prevenção e tratamentos da Psoríase

Doenças de Pele

A pele é o nosso maior órgão sendo por isso acometida por vários doenças. As mais comuns são irritações, inflamações e infecções. Normalmente não representam grande transtorno uma vez que são passageiras, de rápido tratamento e resolução.

No entanto, outras doenças de pele podem ser mais sérias e requerem maior atenção e tratamentos. Doenças de pele como a acne, rosácea, dermatite, herpes, impetigo ou vitiligo, requerem um acompanhamento especializado e cuidados diários e personalizados. A pele defende-nos das agressões do dia a dia, mantendo-nos protegidos por isso sempre que uma doença afeta a nossa pele, devemos procurar os melhores cuidados e tratamentos.

A psoríase é uma doença de pele muito frequente. Afecta até 3% da população mundial. Em Portugal, estima-se que existam cerca de 250 mil doentes com psoríase. A psoríase é uma doença crónica e a sua origem é desconhecida.

O que é a Psoríase?

A psoríase é uma doença inflamatória genética crónica. Pode surgir em qualquer fase da vida, tanto em homens como mulheres. Ainda que muitas pessoas tenham receio em contactar com doentes com psoríase, esta doença de pele não é contagiosa.

Caracteriza-se pelo surgimento de feridas na pele com o aspecto de placas descamativas. Estas placas são vermelhas e normalmente existe descamação da pele. Podem surgir em qualquer zona do corpo mas normalmente aparecem nos cotovelos, joelhos, região lombar, zonas genitais ou couro cabeludo. Afectam sobretudo áreas articulares e costumam estar associadas a alterações nas unhas. Estas placas avermelhadas na pele são bem delimitadas e a descamação tem um aspecto meio prateado. É comum haver comichão no local (cerca de 70% dos casos) e é ainda comum o local afectado pela placa não ter pelos.

A psoríase é uma doença da pele sem causa aparente e sem cura definitiva. Está associada a estigma, vergonha e isolamento. Doentes com psoríase tendem a isolar-se e afastar-se dos outros com vergonha de expor a doença. No entanto, não faz sentido esconder-se. O primeiro passo é fazer o diagnóstico com um médico especialista, conhecer bem a doença e depois apostar em tratamentos naturais que o vão ajudar a lidar com a doença e viver intensamente, sem estigmas nem medos.

Psoríase no couro cabeludo

A psoríase no couro cabeludo é a manifestação mais comum de psoríase vulgar. É mais frequente em adultos até aos 40 anos mas pode atingir qualquer pessoa em qualquer idade. O couro cabeludo costuma ser mais afectado do que outras zonas do corpo. É muito comum haver uma sensação de comichão constante e lesões de pele avermelhada de grandes dimensões, estas também cobertas com placas descamativas espessas.

Na psoríase no couro cabeludo, as placas descamativas são assimétricas e cor branco e prateado e vão descamando ao longo do tempo, dando a ilusão que a pessoa tem muita caspa.

Pode ainda acontecer que as lesões ultrapassem a linha do couro cabeludo e se expandam para o pescoço ou face. É igualmente comum haver a redução de cabelo na zona afectada pelas lesões - em algumas situações há mesmo ausência total de cabelo na área da lesão descamativa.

Psoríase em crianças

Os sintomas da psoríase nas crianças são muito comuns aos dos adultos. Até aos dois anos, as lesões surgem especialmente na zona da fralda podendo muitas vezes ser confundida por assaduras (eritema da fralda). Contudo, esteja atento a:

  • Vermelhidão com um tom ligeiramente brilhante e bordas bem definidas;
  • Comichão da área afetada;
  • Dores, comichão ou sinais de lesão nas dobras inguinais;

As lesões de psoríase nas crianças costumam aparecer na zona da fralda mas é muito comum que após o surgimento destas lesões comecem a aparecer lesões de psoríase em zonas como a face e couro cabeludo, tronco e braços.

Psoríase Gutata

A psoríase gutata é muito semelhante à psoríase vulgar com a diferença da forma de apresentação das lesões. Na psoríase gutata as lesões são em forma de gota (gutata vem do latim, gota) aparecem nos braços, pernas, couro cabeludo e tronco. Estas lesões são relativamente diferentes das da psoríase vulgar: não são muito espessas, costumam ser mais pequenas não estando sempre cobertas com escamas de pele. O tratamento das lesões de psoríase gutata é mais simples e estas desaparecem mais facilmente.

Trata-se da segunda forma mais comum de psoríase. Normalmente desencadeia-se após doenças respiratórias ou infecções virais. É muito comum que pessoas com psoríase vulgar desenvolvam também psoríase gutata.

Existem diversas variações das lesões causadas pela psoríase e é fundamental consultar um médico dermatologista para obter um diagnóstico e uma linha de tratamento. Tenha em mente que, muitas vezes, as lesões de psoríase desaparecem espontaneamente mas depois regressam com maior gravidade, sendo o tratamento da psoríase mais difícil e custoso.

Causas da Psoríase

As causas exactas da psoríase são desconhecidas. Do que se sabe até hoje, acredita-se que o desenvolvimento da doença psoríase está relacionada com o sistema imunológico. Possuímos uma célula, célula T que está no nosso sistema que procura e combate elementos estranhos e prejudiciais (bactérias e vírus). Em doentes com psoríase, as células T não cumprem bem a sua função, acabando por atacar células saudáveis, por engano. Como consequência, formam-se as lesões avermelhadas e descamativas características da psoríase. Uma vez que as células não estão a funcionar convenientemente, o ciclo de formação de lesões nunca termina.

O papel da genética é também importante para a maioria dos casos de psoríase. Muitos doentes com psoríase têm historial familiar da doença, acreditando-se, por isso, que os genes que predispõem o aparecimento de psoríase sejam herdados.

No entanto, existem outros factores que podem desencadear o aparecimento da doença psoríase:

  • Infecções e lesões na pele (feridas, queimaduras…)
  • Variações climáticas
  • Stresse e ansiedade
  • Consumo excessivo de álcool
  • Alguns medicamentos (anti inflamatórios não esteróides)

Como Lidar com a Psoríase

A psoríase tem cura? Não, não existe uma cura definitiva para a psoríase. Existem, no entanto, tratamentos sob várias formas, que podem ajudar a controlar os sintomas e melhorar significativamente a qualidade de vida dos doentes com psoríase. Cada doente é único e tem especificidades, por isso, os remédios para a psoríase, assim como cada tratamento para a psoríase devem ser personalizados e usados com critério, de acordo com as necessidades e indicações. Esteja atento ao evoluir das lesões e consulte o médico sempre que suspeitar que um tratamento para psoríase está a ter efeitos secundários ou a agravar a doença.

Os doentes com psoríase têm normalmente dificuldades em lidar com o aspecto do corpo devido às lesões. Este aspecto pode ser traumático e pode ainda afectar a forma como os doentes com psoríase se relacionam em sociedade - muitos doentes optam por isolar-se e não ter contacto com outras pessoas, por medo de serem estigmatizados e rejeitados pelos outros.

O primeiro passo é aceitar a doença e lidar com ela da forma mais natural possível. Foque-se nos aspectos positivos e nas pequenas vitórias do dia-a-dia. Uma boa dica para lidar melhor com a psoríase é manter um diário com a descrição dos sintomas, tratamento da psoríase e evolução das lesões. Anote tudo: sinais e sintomas, tratamento e remédios para a psoríase, dias em que se sentiu melhor… Este diário vai ser muito útil para o tratamento da psoríase e pode partilhá-lo com o seu médico para ele estar a par da sua evolução.

Além disso, siga as seguintes dicas para auxiliar o tratamento da psoríase:

Limite a exposição solar, evitando as queimaduras solares que podem gerar novas lesões de psoríase.

Limite o número de banhos e o tempo que passa no chuveiro. Não ultrapasse os 10 minutos por banho e opte por água morna. Certifique-se que usa apenas produtos que não irritam a pele e hidrate a pele após cada duche.

Faça exames médicos regularmente, mantenha um peso saudável e controle os níveis de stress.

Roupas apertadas, tecidos sintéticos e uso de produtos de roupa que possam irritar a pele; consumo de álcool e tabaco.

Psoríase: Alimentação e Estilo de Vida

Um estilo de vida saudável que comporte uma dieta equilibrada e atividade física é meio caminho andado para se manter saudável e evitar estar em risco para grande parte das doenças.

No que toca à psoríase, tudo indica que a alimentação desempenha um papel fundamental no controlo dos sintomas e um valioso aliado no tratamento da psoríase.

Deve privilegiar o consumo de frutas, cereais e vegetais e evitar consumir gorduras, carnes vermelhas e álcool.

Opte pelo consumo de alimentos que ajudam a controlar a psoríase. Alimentos como o salmão ou a sardinha (ricos em omega-3 e zinco) ou as cenouras e os brócolos (que contêm antioxidantes, ácido fólico e antioxidantes naturais) ajudam a reforçar o seu sistema imunitário, sendo um óptimo aliado no tratamento da psoríase.

Para melhores resultados no tratamento da psoríase e das suas manifestações, deve evitar os seguintes alimentos:

  • Carnes vermelhas e enchidos;
  • Alimentos condimentados (fazem com que sinta mais prurido);
  • Açúcares e outros alimentos que dificultam o controlo do peso;
  • Álcool (aumenta o risco de crises, comichão e pode interagir com medicamentos que esteja a tomar);
  • Fast-food e alimentos manipulados e processados;

Se tiver sensibilidade ao níquel, evite o contacto com o material. Não se esqueça que o níquel também pode ser encontrado na alimentação, por isso informe-se sobre a constituição de cada alimento.

Além de uma alimentação saudável e a prática regular de exercício físico, abandone hábitos tabágicos que podem influenciar o aparecimento de lesões e vão certamente atrapalhar o tratamento da psoríase.

Tratamentos para a Psoríase

O tratamento para a psoríase normalmente ajuda a manter a condição sob controle, podendo evitar surtos da doença tendo algumas precauções, em especial a alimentação. Dependendo dos sintomas, da sua gravidade, e de anterior resposta do corpo a tratamentos, deverá concluir qual a melhor opção para si, e em caso de dúvida contactar o seu dermatologista.

Tratamentos Iniciais

Inicialmente, a primeira abordagem para tratar a psoríase, escolhida por médicos especialistas, tende a ser o uso de cremes e loções - que são fáceis e práticos de utilizar.

Caso a primeira tentativa não funcione, serão escolhidos tratamentos mais fortes, até encontrar o ideal para o seu caso específico. Recomendamos que não faça tratamentos agressivos sem o acompanhamento de um médico, pois poderá causar efeitos secundários. Se procura um tratamento para aliviar os sintomas da psoríase, opte por produtos naturais, para não sofrer efeitos secundários.

Tratamentos Naturais Tópicos

As pomadas e cremes são muito comuns para colocar nas zonas afectadas e são geralmente os primeiros produtos indicados para combater a psoríase. A maioria das pessoas descobre que estes tratamentos mais básicos, são suficientes para combater e controlar a psoríase, apesar de serem suficientes, por vezes têm de esperar cerca de 2 meses para alcançarem resultados visíveis e positivos. Se sofre de psoríase no couro cabeludo, a combinação de um shampoo e pomada podem ser o suficiente para tratar o seu caso.

Emolientes

Os emolientes hidratantes são tratamentos aplicados directamente sobre a pele para ajudar a reduzir a perda de água e cobri-la com uma película protectora. Se tem psoríase leve, um emoliente é, provavelmente, o primeiro tratamento que o seu médico irá sugerir. O principal benefício de emolientes é para reduzir a escamação e reduzir a quantidade de vezes que se coça. Alguns tratamentos tópicos são pensados para funcionar melhor sobre a pele hidratada. É importante esperar pelo menos meia hora antes de se aplicar um tratamento tópico depois de um emoliente. Os emolientes estão disponíveis como uma ampla variedade de produtos e podem ser comprados ao balcão de uma farmácia ou com prescrição médica.

Cremes ou pomadas

Cremes esteróides ou pomadas (corticosteróides tópicos) são comuns para tratar a psoríase leve na maioria das áreas do corpo de forma a moderar, este tratamento funciona através da redução da inflamação. Isso diminui a produção de células da pele e reduz a comichão. Os corticosteróides tópicos variam em intensidade de leve a muito forte. Utilize apenas os corticosteróides tópicos quando recomendado pelo seu médico.

Fototerapia

Este tipo de tratamento utiliza a luz natural e artificial tratar o psoríase. A fitoterapia pode ser dada nos hospitais e em alguns centros médicos ou clínicas privadas, geralmente sob o cuidado de um dermatologista.

O uso de fototerapia UVB recorre a um comprimento de onda de luz que é invisível aos olhos humanos. A sua luz retarda a produção de bolhas na pele e é um tratamento eficaz para alguns tipos de psoríase que não responderam aos tratamentos tópicos.

Tratamentos Sistémicos

Se a sua psoríase for mais grave ou os outros tratamentos não funcionarem, pode fazer tratamentos prescritos por um especialista. Os tratamentos sistémicos trabalham em todo o corpo - podem ser muito eficazes para tratar a psoríase, mas podem ter efeitos secundários sérios. Antes de começar o tratamento, fale com o seu médico sobre suas opções do tratamento e todos os riscos que estão associados a eles.

Há dois tipos principais de tratamento sistémico, chamados não-biológicos (geralmente em forma de cápsulas ou comprimidos) e biológicos (geralmente em forma de injeções).