• Serviço Discreto

    Embalagem e Facturação Discreta e Simples

  • Envio grátis para Portugal em encomendas acima de 50€

    Escolhe o seu dia de preferência

  • Protecção dos Dados de Clientes

    Os seus dados estão seguros e protegidos connosco

O que é a Sarna: Identicar Sintomas da Sarna Humana

Sarna: Picadas, Sintomas, Transmissão e Tratamento

A sarna é uma infecção de ectoparasitas na pele, que é causada pelas ácaros que provocam a comichão conhecidos como Sarcoptes scabiei. Neste artigo, iremos explicar-lhe o que são as picadas de sarna, os sinais e sintomas das feridas, e irá descobrir o quão contagioso pode ser a sarna, e os tipos de tratamento para esta doença de pele.

Como Identificar a Sarna

Sinais de picadas do ácaro Sarcoptes scabiei

A principal indicação que primeiro aparece numa infestação de sarna, incluí queixas da pessoa se sentir com:

  • Pele irritada;
  • Assadura ou ferida na pele;
  • Comichão;
  • Pele com manchas, altos ou bolhas avermelhadas ou acastanhadas;
  • Pequenos pontos escuros na pele;
  • Linhas curvilíneas perto das feridas da pele

Estes sintomas ocorrem devido ao número de ácaros da sarna que se encontram presentes na pele. Todos os trabalhadores, voluntários e visitas frequentes, que estejam envolvidos com a pessoa que está infectada com escabiose, podem por vezes manifestar-se com sintomas de infestação do ácaro, e em alguns casos, podem também surgir com sintomas na mesma altura que o paciente infectado, tudo isto por contágio.

A identificação da sarna pode tornar-se um pouco difícil. Damos-lhe o exemplo dos casos mais complicados para identificação: os idosos.

Em especial para os idosos que se encontram internados em centros especiais de cuidados, e que tendem a ter a pele mais seca e escamosa, ou podem também desenvolver condições dermatológicas crónicas, para as quais já tenham sido prescritas esteróides para tratamento - esta é uma das situações onde é mais difícil identificar as picadas do ácaro que provoca a sarna.

Quando as escamas da pele se formam devidamente, irá sempre dar para verificar se a pessoa está, ou não, com escabiose, ou picadas de ácaros. Em pessoas que tenham sido recentemente infectadas, as escamas da pele podem testar negativo para a presença de sarna, no entanto, a probabilidade de estarem infectados é muito alta, e o motivo para o teste dar negativo, é a presença reduzida (menos de 20) de ácaros na pele.

Ao aumentar a infestação, as erupções cutâneas na pele começam a assemelhar-se a outras condições dermatológicas que podem incluir o eczema, impetigo, sífilis, Tinea, pioderma, herpetiforme, psoríase, reacções secundárias a medicamentos e pitiríase. As lesões de pele escoriadas podem começar a ficar infectadas com microorganismos como os estreptococos beta hemolíticos, que contribuem para o falso diagnóstico das picadas da sarna, umas vez que os médicos tendem a atribuir os sintomas a condições inflamatórias agudas como a pioderma, em vez de as considerarem como uma infecção bacteriana secundária causada pela sarna.

Sinais da Escabiose

Os sinais mais comuns que ocorrem nas pessoas infectadas com sarna, incluem:

  • Irritação tipo borbulha, ligeiros buracos ou erupções cutâneas na pele, especialmente nas ligações entre os dedos, nas dobras dos pulsos, cotovelos, joelhos, pénis, seios ou omoplatas.
  • Comichão grave, especialmente durante a noite e em todo o corpo.
  • Feridas no corpo que causam comichão. Estas feridas podem, em muitos casos, ficarem infectadas com bactérias.

Sintomas de Erupções Cutâneas

Os sintomas inicias da intensificação da infestação da sarna, começa com a extrema comichão pode todo o corpo, especialmente quando a pessoa quer dormir. A comichão tende a ocorrer em áreas do corpo onde os ácaros não são geralmente vistos. A comichão é geralmente acompanhada pelo coçar nas zonas afectadas, levando ao ao aparecimento de feridas na pele que se assemelham a eczemas.

Outro sinal da escabiose é uma erupção cutânea na pele, que se assemelha a uma elevação avermelhada, tipo borbulha irritada. Em crianças, estas erupções aparecem como bcavidades na pele ou bolhas cheias de líquido. Estas erupções cutâneas tendem a aparecem nas mãos, pele entre os dedos, genitais, cotovelos, dobras da pele nos pulsos, nádegas, seios ou mamilos.

Formas Especiais de Sarna

  • Bebés ou crianças: as lesões tendem a ser bolhas, pústulas e nódulos, a sua distribuição é considerada atípica; nestes casos o eczema e o impetigo são muito comuns. Nestes casos a escabiose pode ser mal diagnosticada como dermatite atópica. Em alguns casos, pode tornar-se numa infecção grave, ao ponto do bebé ou criança não conseguirem dormir, ou comer, devido à irritação grave.
  • Pessoas sem abrigo: é também comum sofrerem de eczema e impetigo, que podem interferir na identificação das picadas da sarna.
  • Pacientes imuno-comprometidos: por vezes, as picadas graves dos ácaros - geralmente a sarna atópica - desenvolve-se predominantemente em pacientes que estão a tomar esteróides tópicos.
  • Comunidades indigenas: as picadas dos ácaros da escabiose podem por vezes ser endêmica, com factores de risco como más condições higiénicas, maus recursos e estabelecimentos médicos ou e também a superlotação dos espaços. Existe um elevado risco desta doença em alguns países do mundo, em especial no norte da Austrália, Áfria e Índia.

Sarcoptes scabiei: Os Ácaros da Sarna

Os ácaros que causam as picadas da escabiose são parasitas obrigatórios que vivem na nossa pele. Os adultos são pequenos e em forma redonda, e as fêmeas medem até 0.4 mm, enquanto os machos podem medir até 0.35mm; têm também pequenas espinhas pontiagudas que os ajuda a instalar-se nas profundidades da pele.

Os ácaros adultos da escabiose podem movimentar-se rapidamente na superfície da pele, viajando cerca de 2.5cm por minuto, até encontrarem um sítio indicado para se introduzirem na pele, desaparecendo por completo da superfície da mesma em cerca de uma hora.

Estes ácaros segregam uma substância tipo saliva que ajuda a penetrar e dissolver a pele. Os ácaros machos e fêmeas, acasalam nos ninhos que criam, e após a fêmea estar fecundada, a mesma emerge e escava um ninho permanente para colocar os seus ovos; entretanto o ácaro macho morre. O ácaro fêmea irá passar o resto da sua vida (cerca de 30 a 60 dias) neste ninho permanente, continuando a aumentar o tamanho do mesmo - estes ninhos podem atingir mais de 1 cm.

Pouco tempo após escavar o ninho, a fêmea começa a deixar os seus ovos, produzindo cerca de 2 ou 3 por dia. Após 3 a 4 dias os ovos eclodem, e apenas 1 dia depois, as larvas começam a estar activas e a movimentar-se para a superfície da pele.

Depois, escavam profundos ninhos, nos quais se alimentam e se transformam em ninfas (cerca de 3 dias). As ninfas retornam à superfície da pele ou então escavam por debaixo da camada superior da pele; chegam à fase adulta em cerca de 3 a 4 dias. O tempo de desenvolvimento dos ovos para adultos, demora cerca de 10 dias para machos e 14 dias para fêmeas.

Os ácaros machos, vivem apenas 1 a 2 dias e passam todo o seu tempo à procura de fêmeas para acasalar.

Embora um ácaro fêmea possa libertar até 180 ovos enquanto estiver viva, menos de 10% das suas crias irá sobreviver o suficiente até chegar à fase adulta. A maioria dos ovos são removidos através dos banhos, de coçar ou de esfregar a pele. Uma vez fora do corpo, os ácaros não sobrevivem mais de 48 a 72 horas. Os ácaros machos não causam picadas de escabiose.

A Sarna é Contagiosa?

Sarna
Sarna Sarna Sarna

A maneira mais comum da transmissão de picadas de escabiose é através do contacto directo entre indivíduos, em especial quando os ácaros estão à superfície da pele. Este contacto precisa de ser directo, e é necessário haver contacto prolongado pele-a-pele, para que os ácaros sejam transmitidos - um apertar de mão rápido, ou um abraço não costuma ser o suficiente para propagar a infestação.

Devido à escabiose se alastrar com o contacto físico ou actividade sexual, é por vezes classificada como uma Doença Sexualmente Transmissível. No entanto, é mais comum as picadas de sarna serem passadas em pessoas que moram juntas, partilham casas ou quartos de hospital, prisões, instituições para idosos ou crianças, entre outros.

Transmissão da Sarna

A infestação da escabiose começa no período onde um ou mais os ácaros fêmeas fecundados, passam da pele de uma pessoa infectada para uma pessoa não infectada.

Após encontrara uma localização adequada, é então criado um ninho nas camadas superficiais da pele, formando um pequeno túnel elevado, onde a fêmea deposita entre 2 a 3 ovos diariamente, durante as suas 4-6 semanas de vida. Os ovos transformam-se em larvas, e posteriormente em ninfas até atingirem a fase adulta em cerca de 10 a 17 dias.

Os ácaros adultos migram para a superfície da pele e acasalam. Os ácaros podem apenas sobreviver na pele de uma pessoa, e não conseguem sobreviver fora da pele para além de 3 dias.

A contaminação de sarna é apenas através de contacto directo com a pele infectada. Procedimentos que envolvam esfregar o corpo de uma pessoa infectada são uma óptima oportunidade para a transmissão de sarna. Contudo, a escabiose pode também ser transmitida através de roupa ou tecidos.

No período de incubação, o intervalo entre a exposição aos ácaros até ao início da comichão, é geralmente 6 semanas. Nas pessoas que sofrem de sensibilidade aos ácaros da sarna, ou já tenham tido a infecção anteriormente, o período de incubação é geralmente mais reduzido, entre 48 horas ou menos.

Tratamentos Naturais para a Sarna

A procura por remédios naturais para o tratamento e prevenção da sarna e para tratar as mais variadas condições de pele tem aumentado cada vez mais, e existem cada vez mais ingredientes natuarais reconhecidos pelas suas potenciais propriedades benéficas para aliviarem e tratarem os sintomas da sarna humana. Entre os vários ingredientes conhecidos destacam-se três, os quais são adequados para tratamento em adultos e crianças.

Óleo de Melaleuca
O óleo de Melaleuca pode ser aplicado topicamente para matar e combater os ácaros e parasitas da sarna. Isto acontece graças à sua composição de terpenoide oxigenado ativo. Os terpenoides ajudam a elimar os ácaros enquanto também tratam a sua pele. Pode também usar este óleo para desinfectar os lençóis, toalhas e roupas para que estes fiquem livres dos ácaros. Quando combinado com outros ingredientes naturais como a Manuka, é um potente tratamento natural para a sarna.

Manuka
Os extratos de Manuka são cada vez mais utilizados para matar rapidamente a infestação dos ácaros, podendo aliviar os sintomas desconfortáveis da sarna, isto acontece devido às suas propriedades estéries que ajudam a evitar o aparecimento de doenças bacterianas, minimizando os efeitos de muitas delas. Enquanto que a maioria dos cremes sintéticos tópicos podem até intensificar os sintomas da sarna durante o tratamento, os cremes que têm uma fórmula à base de Manuka podem aniquilar estes ácaros e dar um alivio ao mesmo tempo. Aplicar cremes à base de Manuka consistentemente nas áreas afectadas pode tratar a sarna e reduzir o risco de uma segunda infestação.

Enxofre
O enxofre é conhecido pelas suas fortes propriedades que têm o poder de tratar e prevenir diversos tipos de problemas de saúde, incluindo a sarna. Hoje em dia já encontra diversos produtos com enxofre, podendo utilizá-los para um tratamento mais rápido da sarna. Embora este seja um produto geralmente seguro, deverá sempre garantir que os tratamentos com enxofre que usa foram fabricados dentro dos padrões de segurança e qualidade.

Tratamento Farmacêutico Sem Prescrição Médica

Seguem os principais tipos de tratamento para a sarna disponíveis em quase todas as farmácias de Portugal:

Permetrina: este é um tratamento recomendado que pode ajudar contra a infestação da sarna e é aplicado no corpo através de uma fina camada no pescoço. O creme é removido posteriormente com água, 15 horas após a aplicação. O creme é capaz de matar os ácaros e os ovos. Recomenda-se nas semanas seguintes, duas ou mais aplicações deste creme, após o desaparecimento dos sintomas, para garantir que todos os ácaros são erradicados da pele. Este tratamento deve ser aplicado apenas em crianças com mais de 2 meses.

Ivermectina: este é um agente antiparasitário oral, que foi aprovado para tratar as infestações de larvas. No entanto, existem provas de que este tratamento oral pode ser seguro e mais eficaz em casos de sarna, embora várias autoridades tenham proibido o seu uso. Este tratamento é apenas usado em casos de escabiose, caso outro tipo de tratamento tenha falhado, no entanto é evitado pelos médicos.