Linha aberta das 9h - 19h, Seg. a Sex

(+351) 308 804 992 LIVE CHAT
  • Serviço Discreto

    Embalagem e Facturação Discreta e Simples

  • Envio grátis para Portugal em encomendas acima de 50€

    Escolhe o seu dia de preferência

  • Os nossos clientes adoram-nos!

    Avaliações independentes pelo TrustPilot

Herpes

Melhore a sua selecção

A herpes é uma infecção viral altamente contagiosa e extrememente descomfortável. Existem muitas variações do vírus, mas a maioria das infecções podem aparecer à volta da boca e dos genitais, como as verrugas genitais. Os surtos de herpes tomam a forma de pequenas feridas à volta da boca. Nos genitais, aparece como bolhas vermelhas líquidas, que podem ser comichosas e extremamente dolorosas. Estas bolhas poderão eventualmente rebentar, tornando-se pequenas úlceras que levam semanas a curar.
A herpes é uma infecção viral altamente contagiosa e extrememente descomfortável. Existem muitas variações do vírus, mas a maioria das infecções podem aparecer à volta da boca e dos genitais, como as verrugas genitais. Os surtos de herpes tomam a forma de pequenas feridas à volta da boca. Nos genitais, aparece como bolhas vermelhas líquidas, que podem ser comichosas e extremamente dolorosas. Estas bolhas poderão eventualmente rebentar, tornando-se pequenas úlceras que levam semanas a curar.

Herpes

Conhecido por ser imprevisível e incómodo, o herpes, especialmente o herpes labial concorre directamente com as borbulhas no que diz respeito a arruinar encontros especiais e ocasiões importantes. Habitualmente manifesta-se como uma bolha no lábio que dá um aspecto desagradável e mesmo provocar dor.

O herpes recebe muitos nomes diferentes, havendo quem se refira a ele como telhas, shingles ou zona, no entanto, o resultado é quase sempre o mesmo: uma enorme dor de cabeça e uma grande dificuldade para encontrar o melhor tratamento para o herpes labial.

A manifestação mais comum do herpes são pequenas bolhas que se aglomeram à volta dos lábios (herpes labial) mas também podem aparecer sinais de herpes nos genitais e noutras partes do corpo. Na cavidade bucal, o herpes pode aparecer nos lábios, gengivas, língua, céu da boca e ainda no interior das bochechas.

O herpes labial é causado pelo vírus herpes simplex. Trata-se de uma infecção viral relativamente comum e frequente, especialmente em faixas etárias mais jovens - entre os 15 e os 40 anos - mas ninguém está livre de sofrer com herpes.

No que diz respeito ao herpes simples, existem fundamentalmente dois tipos de vírus. Um responsável por casos de lesões de herpes na zona da cara e outro culpado pelo herpes genital. Ainda que cada um destes tipos de vírus do herpes seja conhecido por causar determinado tipo de lesões, ambos podem afectar regiões características do outro ou outras zonas do corpo.

HSV1:
costuma estar associado a lesões nos lábios, boca e face. Trata-se do vírus mais comum do herpes simples e habitualmente as pessoas contactam com ele desde a infância. As lesões podem ir desde feridas na boca - interior e exterior, podendo causar aftas - e até mesmo nos olhos.
HSV2:
normalmente de transmissão sexual, este tipo de herpes causa muita comichão e feridas genitais. No entanto, algumas pessoas com este tipo de herpes não apresentam quaisquer sintomas.
Quer o vírus do herpes genital como o do herpes labial podem ser ‘apanhados’ quando há contacto cruzado, isto é, é possível ter herpes genital na boca e herpes oral na zona genital. Neste caso, o tratamento para o herpes deve ser adequado ao tipo de lesões e à parte do corpo em questão.

O vírus do Herpes Zoster

O herpes zoster, também conhecido por zona, não é mais que a reactivação do vírus responsável pela varicela. A zona é o vírus que, habitualmente em criança, causou tantas dores de cabeça aos seus pais, volta a acordar mas sob uma forma de infecção diferente.

Depois de ter a varicela, este vírus não desaparece ficando antes adormecido nas células nervosas. Pode acontecer que nunca mais volte a acordar mas pode também acontecer que o vírus do herpes zoster renasça sob a forma de zona.

Isto pode acontecer apenas devido à idade mas pode também dever-se a alguma fragilidade do sistema imunitário - o sistema que defende o organismo das agressões.

Habitualmente, o primeiro sintoma de zona é um ligeiro formigueiro que depois evolui para uma sensação de dor e ardência. Depois desta primeira fase, começam a aparecer umas manchas vermelhas e ainda pequenas bolhas que dentro têm um líquido transparente. À medida que os dias vão passando, estes sintomas de zona vão aumentando de intensidade: a dor e a ardência vão piorando o que dá origem a muito desconforto e angústia. Este desconforto causado pela zona é tão intenso que muitas vezes, durante a noite, os pacientes explicam que chega a ser muito difícil suportar o peso de um lençol em cima da zona com lesões.

Em que local aparecem as lesões de zona? Habitualmente, as lesões causadas pelo vírus do herpes zoster aparecem no tronco mas podem também surgir na cara e à volta do olho. Por norma, estas lesões aparecem ao longo do trajeto de um nervo, recebendo por isso o nome zona.

As bolhas causadas pelo herpes zoster vão, mais tarde, dar origem a crostas que vão cicatrizando de forma muito lenta. Algumas lesões podem levar até 10 dias para cicatrizar. Pode haver ainda alterações na pele do paciente e estas alterações podem nunca desaparecer, tornando-se permanentes. Em alguns casos, este quadro é acompanhado por febre, dores de cabeça e um mal estar generalizado.

Causas: por que aparece e como se desenvolve?

O herpes labial é causado pelo vírus do herpes simples e é um pesadelo para a maior parte das pessoas uma vez que é extremamente contagioso. O contágio dá-se de forma directa, ou seja, através do contacto directo entre pessoas. Uma pessoa com herpes labial, ao contactar com outra, há o risco de contágio do herpes. Além do contacto directo entre pessoas, o contágio do herpes também pode acontecer através do contacto com algumas superfícies em que o vírus esteja depositado, como é o caso de copos, talheres ou sanitas.

Depois do contágio, após contrair o vírus, há um período de incubação o que faz com que os primeiros sintomas levem alguns dias até aparecerem.

Sintomas

Quando chega à fase dos sintomas começarem a ser visíveis, o vírus já está instalado. A dor é um dos primeiros sintomas mas, no local afectado, o herpes manifesta-se com formigueiro ou comichão (prurido), isto, mesmo antes de começarem a aparecer as lesões propriamente ditas. Para além destes sintomas, pode ainda haver febre, cansaço e dores musculares.

As lesões do herpes labial começam a aparecer numa fase posterior. À volta da boca, começam a formar-se pequenas vesículas. Estas acabam por romper e formar pequenas ulcerações (uma espécie de feridas, do tipo afta) que adquirem depois uma crosta. Mais tarde, estas feridas cicatrizam. Em casos de primeira infecção com herpes labial, as úlceras podem levar até 15 dias até cicatrizar. Já nos casos de re-infecção de herpes labial - episódios de recidiva - as feridas cicatrizam mais rapidamente (até sete dias).

Quando o quadro típico do herpes labial está instalado e o paciente começa o tratamento, é normal que possa sentir alguma secura nos lábios. Não se assuste com estes efeitos, assim como os de descamação. Procure antes minimizá-los com um bom creme hidratantes que vai ser uma boa ajuda no tratamento do herpes labial.

Quando lhe surgir o herpes, caso não esteja já acostumado a lidar com estas situações, deve procurar ajuda médica para procurar o melhor tratamento para o herpes labial. Quando for à consulta, de forma a facilitar o diagnóstico e tratamento do herpes labial, leve já algumas informações para ajudar o seu médico. Deve levar consigo uma lista com todos os sintomas e desde há quanto tempo tem lidado com eles. Além disso procure informar o médico de outras doenças e condições que tenha - alguns podem influenciar o vírus do herpes - e deve ainda fornecer uma lista de todos os medicamentos e suplementos que tome com regularidade.

Tratamento do herpes labial

Para definir uma estratégia de tratamento do herpes labial há que ter em conta a situação específica de saúde do paciente e perceber a frequência com que ocorrem os casos de herpes. Por definição, quando a frequência do herpes labial é superior a seis crises num só ano, ou seja, quando tem um crise de herpes a cada dois meses, deve procurar um tratamento para o herpes labial que consista numa terapêutica continuada e supressiva. Para este efeito, o seu médico deverá receitar-lhe um medicamento antiviral de forma a inibir o vírus. No caso de se tratar de um surto de herpes (ocorrem com menos frequência) a terapêutica deve ser a mesma e deve ser posta em prática o mais cedo possível de modo a acabar logo com os sintomas de herpes e evitar que se tornem mais graves.

No que diz respeito à lesão do herpes labial, em si, deve optar apenas por soluções seguras e que respeitem a pele. Evite recorrer a cremes com eficácia pouco testada e evite ainda cremes caseiros composto essencialmente com vinagre e álcool. Estes, quando aplicados directamente nas úlceras causadas pelo herpes labial, não servem de tratamento e podem inclusivamente piorar o herpes.

Tratar o herpes com produtos naturais*

Muitos são os produtos no mercado que prometem acabar com o vírus do herpes mas esta missão nem sempre é fácil. Muitas vezes, alguns produtos que prometem o tratamento do herpes labial, acabam por agravar os sintomas, causando queimaduras e deixando marcas definitivas.

O conselho é escolher produtos naturais que respeitam a pele e não têm efeitos secundários. Naturasil Herpes Zoster é produto natural, sem qualquer tipo de efeitos secundários, que ajuda a aliviar os sintomas de herpes* e Naturasil Shingles, pode ajudar a aliviar os sintomas de telhas ou herpes de forma rápida e satisfatória*, ajuda ainda a aliviar a comichão e o ardor*.

Sempre que estiver a fazer algum tratamento, deve experimentar o produto e perceber como é que o seu corpo está a reagir. Quando um remédio para o herpes não é eficaz ou produz efeitos secundários, deve abandonar esse tratamento e informar-se com o seu médico ou farmacêutico.

Por norma, as lesões do herpes labial e genital tendem a desaparecer sozinhas ao fim de até dez dias. No entanto, caso o paciente sofra de outras doenças que enfraquecem o sistema imunitário, é possível que haja um agravamento dos sintomas de herpes, fazendo que que durem mais tempo que o normal.

Prevenção

No que diz respeito ao herpes labial, a questão da prevenção é um caso complicado. Por se tratar de um vírus transmissível de pessoas a pessoa através do contacto directo, acaba por ser muito dificil evitar a transmissão. Ainda assim, existem alguns cuidados gerais que podem ser levados em conta:

  • Evitar o contacto directo com a saliva de pessoas infectadas;
  • Evitar o contacto de pele ou mucosas com feridas;
  • Evitar o contacto directo com zonas ou superfícies onde haja a suspeita de permanência do vírus (copos, talheres, sanitas…);

O vento, o frio e ainda o sol podem fazer com que apareçam novos surtos, sendo que deve procurar proteger-se destes elementos naturais, na medida do possível. Na mesma linha, reforce os cuidados de higiene e tenha especial atenção às mãos - estas devem estar sempre limpas.

Atenção à recorrência

O herpes é um vírus que provavelmente já afectou a grande maioria das pessoas. A verdade é que praticamente todos temos o vírus no nosso organismo mas adormecido, isto é, em estado de latência. O nosso organismo nunca elimina o vírus do herpes e este fica adormecido nas nossas raízes dorsais dos nervos periféricos. Deste modo, sempre que o nosso sistema imunitário, por qualquer razão, se encontra mais frágil, é possível que o vírus do herpes labial volte a ativar-se, começando a dar sinais. Uma doença que cause febre, situações de stress, uma exposição solar mais prolongada ou até mesmo o ciclo menstrual, no caso da mulher, podem ser suficientes para acordar o vírus do herpes.

No entanto, cada caso é um caso e enquanto que numas pessoas o vírus se manifesta de forma exuberante, dando muitos sinais, há pessoas que têm manifestações que até acabam por passar despercebidas.

Contudo, importa que se mantenha atento. O vírus do herpes pode reaparecer de tempos a tempos.

*É importante notar que os resultados dos nossos produtos vão variar de indivíduo para indivíduo. Deve sempre usar ou tomar os nossos produtos em conjunto com uma dieta equilibrada e uma prática regular de exercício físico. Todos os comentários de clientes encontrados neste website, são verdadeiros.

Newsletter
Registe-se para Ganhar Ofertas Especiais