Linha aberta das 9h - 19h, Seg. a Sex

(+351) 308 804 992 LIVE CHAT
  • Serviço Discreto

    Embalagem e Facturação Discreta e Simples

  • Envio grátis para Portugal em encomendas acima de 50€

    Escolhe o seu dia de preferência

  • Os nossos clientes adoram-nos!

    Avaliações independentes pelo TrustPilot

Estrias: mitos desvendados

Desvendámos 10 mitos sobre as linhas que nos aparecem no corpo! Será que a dieta influencia? Só as mulheres é que têm estrias? Continue a ler e saiba mais!

As estrias, são suaves, brancas, e lesões da pele parecidas a cicatrizes que ocorrem devido a um rápido alargamento da pele. Geralmente desenvolvem-se durante a gravidez, durante um processo de bastante perda de peso e também na adolescência.

Existem vários mitos sobre as estrias - como as remover, ou diminuir - que tornam difícil explicar melhor como este problema ocorre, como pode ser evitado e como podem desaparecer.

Como tal, decidimos explicar-lhe o que precisa de saber para lidar com este problema.

Mito 1: apenas as mulheres têm estrias

As estrias são um efeito natural causado pela gravidez e daí vem o mito que ocorrem apenas nas mulheres. Cerca de 90% das mulheres têm marcas de estrias durante a gravidez, especialmente depois do sexto ou sétimo mês. Embora não seja tão falado, as estrias ocorrem também nos homens. Basicamente, as estrias aparecem quando as fibras de elastina que se encontram debaixo da pele, se partem devido uma rápida força exercida que faz com que a pele alargue - geralmente devido à gravidez, puberdade ou aumento de peso repentino.

Mito 2: as estrias apenas aparecem quando a pele é esticada

Quando a pele é esticada o mais comum e óbvio é o desenvolvimento de estrias, mas esta não é a única causa. A camada da derme da pele é forte e tem um bom material protector e de suporte. Contudo, os factores hormonais tendem a prevenir ou diminuir a formação de fibras de elastina e colagénio na derme; isto reduz a capacidade da pele suportar a força e a rápida elasticidade requerida, o que torna então mais susceptível ao desenvolvimento de estrias.

Geralmente acontece isto quando os níveis de gluco-corticóides e outras hormonas aumentam. A glândula adrenal aumenta a produção desta hormonal durante a gravidez, puberdade, treino intensivo do corpo e rápida perda ou ganho de peso.

Mito 3: apenas aparecem estrias na barriga

Embora a barriga seja a zona mais comum do corpo a ter estrias, principalmente devido à gravidez e aumento e perda de peso que cause a dilatação do estômago, pode também aparecer noutras zonas do corpo como o peito, coxas, gémeos, nádegas, costas, braços, entre outros sitios.

Mito 4: perder peso ajuda a diminuir as estrias

Embora o ganho de peso e obesidade causem estrias, não significa que ao perder peso as pode eliminar. Ao perder peso não vai perder as estrias, uma vez que estas são tipo cicatrizes na camada da derme da pele.

Para além disso, elas são causadas pelo esforço exercido na pele (quando esta é esticada em demasia), não indo desaparecer só porque perdeu gordura! Contudo, é sempre saudável perder gordura a mais e praticar exercício físico. As estrias recentes (que ainda estão vermelhas ou rosas) podem desaparecer com a prática de exercício.

Mito 5: pessoas magras não têm estrias

Esta afirmação não é verdade, uma vez que as estrias se tendem a desenvolver devias a factores genéticos e hormonais. Pré-adolescentes e jovens, podem ganhar estrias devido a alterações hormonais, independentemente do seu peso e altura. As estrias podem também surgir, embora seja raro, devido a determinadas condições de saúde como o síndrome de Marfan, síndrome de Cushings e o uso prolongado de corticosteróides tópicos.

Mito 6: as estrias não mudam de cor

As estrias são inicialmente linhas de uma cor vermelha, rosa ou acastanhadas - esta é a cor dos vasos sanguíneos à mostra devido ao esforço da derme (camada do meio da pele). Gradualmente, à medida que os vasos sanguíneos se contraem, a vermelhidão dos vasos tende a desvanecer dando então a cor esbranquiçada, podendo mesmo, com o passar do tempo, desaparecer. As cores das estrias também variar consoante o tom da pele de cada pessoa.

Mito 7: bronzeado ajuda a remover estrias

O bronze apenas cobre as estrias. Não as elimina. Em alguns casos, até pode mesmo piorar o aspecto das estrias, em especial as de cor branca. As estrias mais “maduras” de uma cor branca-prateada ficam mais visíveis quando a pele fica mais escura - bronzeada - mas as estrias nunca mudam de cor. Visto que são uma espécie de cicatriz, tal como qualquer outra cicatriz da pele, estas não se bronzeiam.

Mito 8: seguros de saúde cobrem tratamentos para estrias

As estrias são uma preocupação a nível da estética, pois não representam qualquer forma de risco de saúde. Desta forma, os tratamentos para estrias, como a cirurgia a laser, micro-dermabrasão e outros procedimentos cosméticos, não são cobertos pelos seguros de saúde.

Mito 9: as estrias podem ser eliminadas completamente

Embora as estrias possam desvanecer e aclarar com certos tratamentos e medidas médicas, elas não podem ser removidas completamente, não importante quão caro seja o tratamento que faça. Até a terapia a laser não pode remover as marcas a 100%, mas consegue reduzir o seu aspecto, de modo a que estas não se notem. Em casos raros, as estrias abaixo do umbigo podem desaparecer completamente com uma abdominoplastia que remova o excesso de pele e gordura do abdomen.

Mito 10: beber água suficiente e uma boa dieta não influenciam as estrias

Beber 8 a 10 copos de água por dia e ter uma dieta saudável ajuda definitivamente a prevenir as estrias de aparecerem. Uma hidratação adequada é bom para a sua pele e melhora a sua elasticidade. Para além disso, se tiver uma dieta rica em alimentos saudáveis, proteína, zinco e vitamina C, facilita o rejuvenescimento da pele e promove a produção de colagénio que mantém a pele firme. Contudo, ter uma vida saudável não consegue prometer-lhe que fica imune às estrias, especialmente se tiver uma predisposição genética para tal.

Newsletter
Registe-se para Ganhar Ofertas Especiais